domingo, agosto 20, 2006

UM ESPECTÁCULO HISTÓRICO: "COCK-TALE"

P.S. Isto é um belo par de "MAMAS" e
não um "CÚ" !!!!!
"COCK TALE - CRÓNICAS DE UM ACTOR DE 1.º ESCALÃO"

(O MEU TESTEMUNHO ÍNTEGRO E ISENTO ACERCA DO QUE SE PASSOU NAQUELA INESQUEÇÍVEL NOITE)

Dia 2 de Abril de 2001 às 21:00 horas teve início o Espectáculo Único:
"Cock Tale-Crónicas de um Actor de 1.º Escalão"
Este espectáculo teve o objectivo de investigar o sexo e de o olhar sob um prisma cómico, a própria indústria pornográfica, anunciar o fim da minha carreira, sobretudo de actor de teatro, realizando por isso apenas 1 único dia de espectáculo (ou seja: quem viu...viu...quem não viu...ficou com raiva de não ter visto...e por isso...para quem viu....ficou para sempre com ele nas suas memórias). De dentro de um caixão (Patrocinador Oficial da Companhia de Teatro Anatómico/Duarte Barrilaro Ruas: Agência Funerária Salgado), duas Prostitutas previamente contratadas saíam da assistência para me ressuscitar com um belo par de "broches"... isto seguido de um alegre "Strip" da minha parte ao som de um "hit" "Rockabilly"dos anos 50.
No final, e após as mesmas "Hookers" me colocarem um roupão no pêlo, retirava 40 contos (ainda em Escudos), de dentro de cada um dos bolsos e pagava-lhes essa quantia(a cada uma), em pleno palco....Uma disfarçada e irónica forma de humilhar quem "faz pela vida".....LOL!
Uma anunciada "sucinta" retrospectiva em vídeo de toda a minha carreira era projectada no écran do Cinema Paraíso(ao Camões), em pleno centro de Lisboa, mas que afinal durava cerca de 1 hora e 30 minutos...lol.
Uma dança erótica com uma suposta Bailarina de "Tutu" com um pénis implantado no calcanhar direito, desempenhava as mais variadas formas de o introduzir em tudo o que eram buracos sexualmente possíveis, em posições previamente coreografadas e ensaiadas, sempre em estilo de "dança clássica"...lol.
Seguia-se um discurso (comigo vestido de Padre), muitísimo contundente e de revolta para com toda a sociedade, incluindo Artistas, Companhias, Actores, Produtores, Ministério da Cultura, preconceitos, formas de luta e de justiça moral e social e toda uma revolta que incomodou seriamente muita gente presente. Este sentimento ia sendo amenizado devido apenas à projecção simultânea de imagens de fotografias em "slides", com "Foto-Montagens" de imagens Porno digitalizadas das famosas revistas dos anos 70, tais como o "Fanzine" de iniciação à masturbação, dos que nasceram entre 1960 e 1990: A Revista colorida e legendada: "Gina", com a minha cara no lugar dos intervenientes nos diversos actos sexuais, o que conferia uma atmosfera bizarra, não só ao discurso como às próprias imagens, que se transformavam no único escape possível para uma falsa calma da parte da assistência, visivelmente incomodada pelo dito discurso.
Foram 4 horas históricas(nada cansativas), proporcionadas por um modesto apoio, imagine-se, da Fundação Calouste Gulbenkian(Serviço de Belas-Artes), dirigido aos Encenadores da nova geração(eu, imagine-se, após mais de quase 20 anos de carreira, já na altura....ridículo, digo eu...).
Realço o poder de marketing e o esforço por mim desenvolvido, não só no fabrico e aplicação nas ruas de Lisboa do Cartaz (criado e imaginado por mim e realizado pelo magistral ilustrador Jorge Mateus), bem como pela força criada em torno do evento que mobilizou à minha volta, de forma totalmente gratuita, o trabalho fantástico da minha futura esposa: Maria João Barbosa, do Porteiro do Lux da altura, Miguel Ângelo, do Barista Zé Chagas, do Videasta "Arara", do Luminotécnico Luis Cruz, da Cantora e performer Marga Munguambe, da excepcional produtora e Assistente Mariana Escudeiro, dos Realizadores, meus amigos e colaboradores de sempre, Edgar Pêra, João Pinto e Laurent Simões, na sua disponibilização de imagens vídeo, bem assim como dos exploradores do CINEMA PARAÍSO: Henrique Espírito Santo e Alexandre, sócios da produtora, distribuidora e exibidora: "VISÃO FILMES", e de toda uma enormíssima e vasta equipa que integraram o meu mais ambicioso e secreto projecto de Espectáculo/Happening/Performance de sempre da minha COMPANHIA DE TEATRO ANATÓMICO, e que teve o impacto tal qual eu previa e imaginava e de que muita gente duvidou ir resultar, incluindo o meu, na altura Patrão: O Exmo. Sr. Manuel Reis...que nem se dignou a estar presente...
É evidente que o sexo, por si só, apela às almas e aos instintos mais primitivos...isso é tão óbvio, que me decidi, de forma completamente crente e profunda, dar-lhe um cunho cómico, sardónico e completamente irónico.
Penso que a minha escolha de ter sido realizado apenas um único dia de Espectáculo(confesso), me causou alguma "mágoa" e uma certa "tristeza", mas senti que tinha de ser assim, para que eu, de dentro de um caixão, vestido de fato completo e gravata e coberto por um lençol branco e com 3 "Xanax" de 1 mg no "bucho", proporcionasse ao evento um enormíssimo impacto e o efeito e a curiosidade nas pessoas que conseguiram interessar-se em ir ver (era só por convite e totalmente gratuito), e eu assim conseguisse transmitir a essas pessoas em geral, e a muitas em particular, toda a minha revolta que sentia na altura(por diversas, confesso, frustrações artísticas, tais como a inveja e a ignorância a que me votaram durante tantos e tantos anos, especialmente a comunidade Teatral...)
É lógico que houve mais de 30 patroçínios, a ajuda de dezenas de pessoas e de Instituições e é claro, uma impecável passadeira vermelha colocada à entrada, no passeio da Rua do Loreto ao Camões, bem assim como um belo projector de Luz bem potente colocado no prédio em frente, a iluminar a modesta e discreta entrada do então velho e decadente: CINEMA PARAÍSO", entretanto agora modernizado e "limpo"..ahahah...
Dos cerca de 320 lugares sentados, calculo que estariam presentes cerca de 650 pessoas, fora as que no Hall de entrada participavam nesse magnífico "COCK-TALE", comendo e bebendo alegremente, e apinhando-se em maciços magotes de "curiosos", tentando espreitar alguns momentos do evento...(e, espante-se, alguns fotógrafos conseguiram inclusivamente apanhar o único "frame" em que estava totalmente nú, prestes a vestir o meu roupão "post-strip").
Para relembrar a todos esse histórico dia da minha despedida do mundo da representação como Actor de "Teatro Coreográfico", que sempre fui, e que introduzi em 1991 em Portugal(Encontros Acarte 1991 da Fundação Calouste Gulbenkian, representando Portugal nesse evento com um bombástico Espectáculo intitulado:"O POVO DAS CHUVAS ÁCIDAS", com interpretação minha e de João Reis e com Música original interpretada ao vivo pelo magistral compositor e violinista, Carlos Zingaro), aqui fica a memória desse "COCK-TALE-CRÓNICAS DE UM ACTOR DE 1.º ESCALÃO", através do ainda e raro empolgante Cartaz, que certamente ficará na história do design gráfico teatral! Uma noite inesquecível, para mim e para quem viu e mais ainda, para meu gáudio, para quem não viu!!!!!!! Isso conta ainda mais no meu "ego"...(passe toda a imodéstia deste relato), muito embora deva confessar que este é baseado muito mais na visão dos relatos dos "imparciais"e variadíssimos espectadores(amigos, conhecidos e simples comentadores), do que nas minhas turvas memórias, humedecidas pela alegria e tristeza, já a prenunciar a minha futura doença, que descobriria numa consulta de rotina, a Doença Bipolar, de que sempre padeci, mas sem o saber, e que ao passar a ser medicado diariamente, me retirou muitas das minhas capacidades de controlar o meu talento, a minha adrenalina e, sobretudo, a minha criatividade e poder de iniciativa...
Esta é a primeira vez que assumo publicamente de que padeco desta doença, embora seja(felizmente), apenas de um grau muito mínimo e facilmente controlável, tanto pela medicação, como pela minha lenta mas definitiva assunção do padecimento da mesma, que me custou (pelo menos), uns 2 anos e um divórcio, para enraizar e assumir interiormente. Sei que muitos artistas e outras pessoas também padecem da doença Bipolar, mas sem o saberem, mas digo-vos que foi graças a ela que alcançei patamares de qualidade, empenho e entusiasmo ao mais alto nível profissional(teatro/dança/cinema, etc.), sempre extremamente contagiantes e mobilizadores para os colectivos com quem ia sempre trabalhando...
Não quero que tenham pena de mim, mas apenas que respeitem as limitações e as fragilidades de quem às vezes, quer, e não pode...
P.S. Na sequência da minha investigação ao "Baffon" da Pornografia Lisboeta, filmei-me com câmara oculta a ir às "Putas", e tais imagens têm um valor inestimável e único. Não digo mais nada...
Muito Obrigado a V. Exas,
Duarte Barrilaro Ruas

terça-feira, agosto 15, 2006

UM BELO CARTAZ COLADO NA MINHA CAIXA DO CORREIO PARA O MEU EXMO. SR. CARTEIRO

(Que devido ao alcoolismo tem 23 tipos
de cor vermelha no seu pescoço)
Exmo. Sr. Carteiro,

É FAVOR DEIXAR NA LOJA DOS QUEIJOS E PRESUNTOS DO SR. ZÉ DOS QUEIJOS
(AQUI POR BAIXO), O CORREIO QUE NÃO COUBER NA CAIXA DO MEU 1.º ANDAR.
MUITO OBRIGADO E BEM HAJA!
P.S. Se sou eu que lhe abro a porta todos os dias, porque é que em vez de me entregar as encomendas directamente, me deixa um postal dentro da caixa....???? E já agora toda a correspondência que não me for dirigida, faça o amável favor de a devolver ao Posto dos CTT onde trabalha, e aproveito para lhe comunicar que não sou o Administrador do Prédio, por isso, não me coloque a conta da EDP na minha caixa do Correio, bem assim como a conta da renda mensal do meu vizinho, o Exmo. e amável Sr. Zé dos Queijos!
Muito Obrigado!
Duarte Barrilaro Ruas

sexta-feira, agosto 11, 2006

UM PEQUENO PORMENOR DE DUARTE BARRILARO RUAS

Sim! Sim! É mesmo verdade! Eu consigo (mesmo a uma distãncia de a partir dos 15 metros), saber quando é que uma mulher está com o período! E não é pelo cheiro!
É mesmo uma capacidade única de saber observar (em menos de 3 segundos) se está ou não na menstruação...e isto penso eu, deve-se à minha vasta experiência de "quecas falhadas" ao longo da vida....e isto apesar das mais de 500 mulheres diferentes que, seguramente, revindico para mim (e se calhar para os outros também), mas isso de partilhas deixo para outra oportunidade...Este original "DOM" nos homens, é-me seguramente dado não por Deus, mas pelo ser carnal que sou, enquanto ser ateu e enquanto suficientemente são e senhor da minha sanidade mental e possuidor das minhas mais originais faculdades de observação na sua melhor forma, ou seja: SEMPRE!
Riam-se ou chorem, mas isto de compreender as coisas das mulheres só de relance, quase merecia um "workshop", apenas aberto a homens capazes de levantar cadeiras e toalhas de banho com o pénis...e fico-me por aqui... in: Capítulo-SEXO-HISTÓRIAS INSÓLITAS DE DUARTE BARRILARO RUAS - "SOU TÃO NOVO MAS JÁ VIVI TANTO"