quinta-feira, fevereiro 15, 2007

O TEMPO....

Palermo....


Palermo, 1990, andava eu de Canon em punho a fotografar em sobreposição, várias coisas à minha volta. Deparei-me com um estranho barco. Deveras excêntrico, de tal maneira que me pus a fotografá-lo com árduo vigor. Súbitamente, sou agarrado por trás por 3 indivíduos que me transportam ao interior do Barco de Roda dentada em riste. Passo porta de aço, atrás de porta...umas fecham-se, outras não...aumenta o suspense e deparo-me com vários "mafiosi" de pistola e metralhadora em punho com um "Chefe" a uma escrivaninha, eu sentado à frente dele e a reclamar a inocência de um rapaz novo, impulsivo e irreverente, mas um humilde actor de uma Companhia de Teatro-Dança Italiana, argumento que resultou em pleno, tendo saído de lá sem 2 rolos de película mas com a vida e 200.000 Liras pelos respectivos filmes. Parece um episódio insólito de uma película de um filme de acção e policial. Passou-se em 1990. Se fosse hoje, os escrúpulos são agora outros, estaria já morto. Tenho a certeza. Acabou a elegância dentro da classe criminosa.

P.S. Palermo e Bombaim são as 2 cidades do Mundo onde há mais refinação de heroína. Eu desconhecia esse facto, na altura. Safei-me!

AGENTE SECRETO


Regresso ao Bemformoso por alguns minutos. Um toxico-dependente tem a seringa totalmente pendurada do antebraço....enquanto neste êxtase de loucura ignora o objecto, a dor e o sangue que se esvái... e muito tranquilamente.... joga "Sudoku", de uma revista de entretenimento encontrada nas Ruas. Ridículo ou grotesco. Não sei o que dizer....